Privada da sexualidade conjugal vai receber indemnização de 30 mil euros

O marido da lesada, um indivíduo, ao que apurámos, de Canas de Senhorim e motorista de profissão, despistou-se há nove anos no IC12, tendo sofrido diversos ferimentos, na sequência dos quais ficou sexualmente incapacitado. A inédita decisão do recurso para o Tribunal da Relação foi hoje conhecida (data de 20 de Outubro o acordão) e condenou a seguradora ao pagamento de 30 mil euros à esposa, quando na primeira instância, em Nelas, há cerca de um ano, tinha sido absolvida. Depois de várias décadas de vida conjugal feliz e completa, a esposa requereu uma indemnização, pois passou a ter uma vida “angustiante, com sofrimento permanente”, pela falta de atividade sexual. Os seus argumentos foram atendidos pelos juízes desembargadores de Coimbra, que fixaram então a referida indemnização de 30 mil euros, pelos danos causados.