Nelense Tiago Santos é o vice campeão nacional de todo terreno na classe promoção

Realizou-se nos dias 22, 23 e 24 a 29ª edição da Baja Portalegre 500, a última corrida pontuável para o Campeonato Nacional de Todo Terreno de 2015.
Na quinta-feira as equipas enfrentaram as tradicionais verificações administrativas e técnicas. Na sexta-feira  teve lugar o prólogo de 5km na Herdade das Coutadas, seguido de uma especial de 85km realizada entre Ponte de Sor e Portalegre, esta que era a novidade principal no desenrolar da Baja.
No Sábado realizou-se a grande corrida, com uma especial de 345km percorridos em solos Alentejanos com início no Crato sendo a linha de chegada em Portalegre.
Para o piloto Nelense, Tiago Santos, era uma estreia e o realizar de um sonho, estar na partida para esta mítica Baja de Portalegre 500, tendo como objectivo chegar ao fim da mesma e conseguir alcançar o ainda possível segundo lugar no campeonato nacional de promoção.
No primeiro dia o prólogo não correu da melhor forma, conseguindo apenas o 49º melhor tempo. Na especial da tarde, conseguiria recuperar 24 posições, alcançando o 25º posto no qual iria partir no dia seguinte para o derradeiro dia de competição.
No Sábado, com 345km para percorrer,Tiago Santos começou bem cedo ao ataque, conseguindo mesmo entrar no top 20 geral ao mesmo tempo que liderava a classe promoção. Devido a um problema mecânico, após a ZA3 e quando faltavam 100km de corrida, o piloto optou por moderar o andamento e assim levar a mota até ao fim, perdendo algumas posições, mas alcançando um meritório 23º posto na geral e 3º na classe promoção, alcançando o objectivo principal – ser vice-campeão moto promoção.

“Foi uma prova de muitas emoções, era um sonho para mim desde pequeno realizar esta prova que além de ser a prova rainha da modalidade em Portugal, é uma prova com muito carisma a nível mundial.
Começou por não correr bem o prólogo mas não desanimei pois sabia que ainda faltavam 430km e haveria tempo para recuperar, foi o que fiz em ambos os dias, estava bem fisicamente e bastante confiante, cheguei a rodar dentro do top 20 mas um problema com a roda traseira fez com que ficasse sem travão nos últimos 100km, optei por levar em ritmo lento a mota até ao fim porque só assim conseguiria alcançar o segundo lugar no campeonato.
Estou satisfeito com o meu desempenho nesta corrida e no campeonato pois apesar das poucas condições que tinha e de só ter conseguido realizar 4 das 6 provas  os resultados apareceram ficando apenas a 6 pontos do 1º lugar.
Agora é tempo de começar a prepara a próxima época e reunir as condições necessárias para conseguir o título em 2016″, declarou ao nosso jornal.
Tiago Santos agradece ainda a todos os amigos, família e patrocinadores pelo apoio ao longo desta época, pois só assim foi possível lutar prova após prova.