AZU repudia abate dos 50 cedros na Praça do Município em Nelas


A AZU (Associação Ambiente em Zonas Uraníferas) acaba de nos enviar uma nota de imprensa em que condena o abate dos cedros na Praça do Município em Nelas : 

“Ao tomar conhecimento do abate de cerca de 50 cedros pela Câmara de Nelas, no Largo do Município, nesta mesma Vila, vem manifestar discordância por este ataque ao meio ambiente e património florestal.

Em nota de imprensa que acaba de chegar à nossa redação 

Repudiamos e alertamos a população, porque de uma forma geral tem sido esta a prática de várias câmaras municipais e em particular dos vários executivos que têm passado pela gestão da Câmara de Nelas. São exemplo disso, a forma de cumplicidade do abate de várias tileiras, com mais de 50 anos, na avenida João XXIII, em prol da construção do edifício Central em Nelas, bem como da remodelação da Mata das Alminhas em que abaterem várias árvores, entre estes pinheiros de grande porte, que sustentavam o local como uma mata.
Esta tem sido prática habitual pelos vários executivos camarários, esperando-se uma maior sensibilização junto das populações para a preservação da natureza.
Consideramos importante que antes da concretização do corte dos cedros a população seja informada do porquê de tal decisão bem como seja dada resposta ao pedido de esclarecimento da AZU, visto considerarmos pouco esclarecedores os motivos referidos no comunicado enviado à comunicação social, onde a situação é explicada de uma forma lacónica e pouco respondendo às nossas dúvidas.
Pretendemos que seja esclarecido se no lugar dos cedros abatidos serão plantadas outras árvores, pois consideramos que à custa da insensibilidade do “Cortar a direito”, tal como foi feito, este local se transformou num espaço “nu” e cinzento. É lamentável que tenha sido tomada esta decisão de forma precipitada, que em vez de eliminar somente o que estava doente, tenha abatido todos os cedros, mesmo os bom estado e com possibilidade de intervenção técnica, com impacto tão negativo no nosso património.
A AZU, entende só agora tomar posição pública, visto termos esperado por uma resposta da Câmara de Nelas, a fim de serem dados esclarecimentos, os quais consideramos insuficientes, e por esse motivo só agora entendemos estarem criadas as condições para tomar tal posição”
Viseu, 16 de Fevereiro de 2014
A Direção da AZU

34 comentários a "AZU repudia abate dos 50 cedros na Praça do Município em Nelas"

  1. E as arvores que o Sr.Minhoto cortou na via publica para fazer a pensão na Felgueira?
    Dessas ele não fala,arvores com dezenas de anos que eram de todos nós.

  2. Esse Minhoto é um musico

  3. Agora sim!
    Temos uma fotografia verdadeira! Onde está a podridão das arvores? que foi apresentada naquela fotografia junto à nota de imprensa da Câmara Municipal.
    Até nisto, o Zé Megildo não consegue falar verdade.
    Obrigado AZU pela sua intervenção na defesa do património ambiental do nosso concelho.

    • Mais uma vez se explica aos ressabiados da derrota nas últimas eleições, que o corte dos cedros só pecou por tardia. Toda a gente sabe que os cedros são das árvores mais fáceis de cair porque têm uma raiz superficial de pequena base, a que se soma o facto de ensoparem a copa de tal modo que o seu peso faz deslocar perigosamente o seu centro de gravidade. Juntando isso ao facto dos ventos dominantes empurrarem os cedros cortados no sentido do largo da Câmara.
      Mais uma vez se lembra a estes aziados da derrota que no inverno passado um cedro caiu no jardim da casa do saudoso Mestre Batista, não tendo provocado danos de maior monta porque caiu no sentido da estrada. Se tivesse caído no sentido contrário teria destruido a casa e possivelmente provocado vítimas.

      Só não percebe quem não quer.
      Ou melhor perceberem percebem, mas como estão movidos por uma lógica de bota abaixo durante 4 anos tudo serve para malhar…porque sim
      eheheheheheheh

      Já toda agente percebeu que os aziados da derrota têm uma estratégia baseada em dois grandes pilares:
      -Em primeiro lugar "malhar" em tudo que mexe visando desgastar a CMN tentando influenciar os leitores que por aqui passam, tudo, tudo para verem se regressam daqui a 4 anos à casa onde se sentem confortáveis, mas onde deixaram os pesados IMIs sobre todos nós e uma Câmara nas ruas da amargura financeira. Podem até fazer o pino, mas daqui não levam qualquer voto porque a memória existe e perdurará
      -em segundo lugar, lançar como candidato à Presidência da Câmara para daqui a 4 anos o homem sem sono, aquele que fazendo o papel de "defensor" permanente do regime saído, afasta por isso outros candidatos e julga reservar para si esse direito, por pensar que essa sua luta permanente lhe dará essa mais valia futura, levando-o a pensar que atrapalhará o próprio PSD. Ser o único defensor do regime deposto ao velho estilo Loureiro "quantos são?", é julgada a melhor estratégia para daqui a 4 anos argumentar que terá sido o único a dar o peito às balas. O PSD andará a dormir???
      Deixem crescer a onda. Quem vos avisa vosso amigo é. Está a ser jogada a figura do direito consuetudinário. Alguem se está transformando no protestante de serviço, para ocupar território do PSD concelhio que dorme o sono dos justos

    • Se a sua ideia germinasse não ficava árvore de pé. O tempo mostrará o porquê do abate de cedros "limpinhos" .

    • “CARTA ABERTA” ao Pacheco Pereira do atual regime autárquico (Anonymous 17 de Fevereiro de 2014 às 11:13), especialista em fazer oposição a quem não disser “ámen” ao pensamento e acção do dito regime.
      Ter uma opinião diferente não é necessariamente “oposição. Chama-se “OPINIÃO”. E quem a expressa, só porque não concorda, não é necessariamente nem “oposição”, nem “ressabiado”. Não deve saber, mas há uma “coisa” chamada “Sociedade Civil”. Sabe o que é? Pois… parece que não! Não está habituado… Nem gosta.
      Mas olhe, como dizia o outro “habituem-se!”.
      Nos regimes democráticos convive-se com essa “coisa estranha” chamada “opinião”.
      Mesmo que não gostemos, por não afinar pelo mesmo diapasão do nosso pensamento.
      Felizmente vivemos numa sociedade democrática, se não deu conta, bem vindo ao século XXI.
      Se deu conta, ótimo, volte lá aos despachos, que precisamos que o dinheiro que lhe pagamos seja bem aplicado, em trabalho efetivo e não nas redes sociais e na internet.

      Sobre os cedros: tem razão. “SÓ NÃO PERCEBE QUEM NÃO QUER”.
      “Toda a gente sabe que os cedros são das árvores mais fáceis de cair porque têm uma raíz superficial de pequena base” – NADA MAIS ERRADO!
      Os cedros “são extraordinariamente resistentes ao vento e às intempéries. Inclusive são usados como sebes corta-vento”. Logo, não são fáceis de cair.
      Por outro lado, quem parece não saber, ou não querer saber, é você, mas alguém por aqui já lhe respondeu. Fica então a saber que as oliveiras e as tilieiras, por exemplo, também têm “raíz superficial de pequena base” que tanto fala, e não é por isso que são um perigo público. Quer ir arrancar todos os olivais do concelho e as tilieiras da avenida João XXIII?
      Diz ainda, sobre as alegadas fundamentações técnicas “… a que se soma o facto de ensoparem a copa de tal modo que o seu peso faz deslocar perigosamente o seu centro de gravidade. Juntando isso ao facto dos ventos dominantes empurrarem os cedros cortados no sentido do largo da Câmara”. – ERRADO, UMA VEZ MAIS.
      Em qualquer bom livro ou manual especializado sobre o assunto pode verificar que esta árvore “devido à sua resistência ao vento, é hoje em dia a árvore mais utilizada para fazer sebes serradas e sebes corta-vento para proteger essencialmente as culturas”.

      Sobre o que lhe interessou mais, a crítica política sobre os “ressabiados” e os “aziados da derrota”, porque lhe dá mais jeito ir por aí para desvalorizar o assunto e menorizar a INDIGNAÇÃO, saiba que isso não nos interessa.
      Só o património ambiental e patrimonial nos move.
      CIDADÃO COM OPINIÃO PRÓPRIA.

  4. Só peço ao senhor MINHOTO que continue a calcorrear o caminho da VERDADE e da defesa do concelho de Nelas e que não se deixe influenciar com as falsas promessas de Borges da Silva.
    Que com aquela caro de anjinho só debita ódio e vingança.
    Até me admira como é que ele não faz parte daquela telenovela que começou à poucos dias na TVI,
    "O ESCORPIÂO", que o diga a Dona Fátima Coelho.

  5. Péssimo sinal de um executivo que se apresentou como arauto da defesa do meio ambiente. Ainda está por saber-se a sua posição sobre os galinheiros junto ao hotel da Urgeiriça, deixados construir ilegalmente pelo anterior executivo de má memória.

  6. Pela primeira vez dou razão ao Sr. Minhoto!!!!!!!!!

  7. O PSD tem que ser entregue ao Eng.º Vítor Alves, João Rego ou ao Jorge Alves!

  8. URGENCIA!
    Pela possível queda de todos os cedros, por causa da sua raiz e ensopamento de copa extingam-se todos os cedros do mundo.
    Não vá cair qualquer um dos cedros na cabeça de um descuidado humano, esteja ele onde estiver.
    Urgente abatam-se todos os CEDROS

    • Argumentação pobrezinha. Sugiro-lhe que fale com profissionais. Se tem tantas certezas plante um cedro ao pé da sua casa. Mas não acredito que tenha essa coragem

  9. Que desculpa farrapada senhor comentador das 11:13.
    Na sua lógica todas as arvores de raízes rastejantes, designadamente oliveiras, tílias entre outras têm que ser arrancadas, seja competente, podem perceber de direito ou de apagar fogos, mas disto já vi que não.
    Quanto ao IMI, está na hora de renegociar o PAEL.
    Mais, pagando 300.000,00€ por ano, durante cinco ou seis anos está liquidado.
    Tenham coragem cumpram o que prometeram baixem o IMI e voltem a dar o estatuto de freguesia à AGUIEIRA!
    Quanto aos candidatos à Câmara em 2017, só sei que não votarei num, BORGES da SILVA, pelas promessas, mentiras e perseguições.

    • AGUIEIRA?
      FREGUESIA DA AGUIEIRA?
      Tem toda a razão caro concidadão.

      Mas deve pedir contas a quem saiu da Câmara e ao governo DELES
      SIM ao governo deles, que tem o País e os Portugueses pior do que estavam no tempo do odiado Sócrates. Sim porque ainda um dia a história explicará a verdadeira história daquilo que se passou. Os factos são como o algodão. Não enganam
      Sócrates saiu com a dívida portuguesa em cerca de 90% do PIB e o País com crescimento de mais de 1,5%.
      Estamos agora muito mais pobres, com a dívida a chegar aos 130% e o País a decrescer. Com maior desemprego e as famílias "falidas" e as leis do trabalho "MUITO AMIGAS DOS TRABALHADORES".

      Obrigaram o Sócrates a pedir um resgate quando o País estava melhor do que agora. E agora que estamos pior??? No tempo do Sócrates cercaram Portugal com juros altos. E agora que estamos piores os juros baixaram porquê????????????
      É isso que a história um dia contará. Que motivações houve a nível internacional ? Uma certa direita anti estado-social aproveitou-se das fraquezas para minar as socidades como a nossa. Um dia se perceberá porque aqui as reformas têm que ser cada vez mais tarde e na Alemanha baixaram a idade das reformas. è como dizia o frei Tomáz

  10. Querem lá ver que pela " nota de Imprensa" da AZU, o senhor Minhoto já é um sacana.
    Querem lá ver que este presidente ainda vai prejudicar a filha no projeto EMPREENDE.
    QUE DEMOCRACIA paira naquela Câmara.

  11. Senhor jornalista
    Acredite que gostava de ver aqui expresso um comentário do senhor Rego, quanto ao abate clandestino dos cedros.
    Ou se partiu dele essa ideia peregrina.
    Ou será que ele e o Borges da Silva também já compraram os edifício e os Balões?

    • JOÃO GOUVEIA REGO | 17 Fevereiro, 2014 às 14:15 |

      Abro a excepção e respondo a um anónimo.
      Meu caro,ainda não falei com o presidente sobre tema de tão relevante importância para o concelho, mas ao que me parece, foram os serviços técnicos que emitiram parecer sobre o corte,mas posso-lhe dizer que não me choca,estando bem mais preocupado com o futuro daquele espaço.
      Aproveito também para lhe dizer que com pena minha não comprámos o edifico da CVR Dão, mas penso que o Dr.Borges da Silva saberá o que está a fazer em prol da preservação e melhoramento do património Municipal, por isso deixemos-nos de lana caprina e aguardemos,ainda é muito cedo para julgamentos,ganhem coragem e saiam do armário!

    • Abro uma exceção e respondo-lhe como anónimo: é pena ainda não ter falado com o presidente sobre um tema de "tão relevante importância", mas ao que "lhe parece" foram os serviços técnicos. Então, em que ficamos? Onde está esse famoso "parecer técnico", se não falou com o presidente como sabe tanto detalhe? Se cahar a CULPA é dos Serviços. Boa malha… E não o "choca"? O ambiente, a preservação do património, o enquadramento urbanístico, para si, e para os que assim pensam, devem ser questões de "lana caprina". Só o preocupa o futuro do espaço… Pois… Os armários, por vezes, não são o que parecem… quando se abrem descobrem-se muitas surpresa!

  12. Boa senhor João Rego ser um comentador desta importante fonte de informação.
    Peço-lhe que comente sem ser anónimo quando critica aqueles, que com receio de perseguição opinam em sentido diferente do seu amigo Borges da Silva, de forma anónima.
    A perseguição dele é mesmo de terrorismo.
    Quanto ao corte dos cedros, depois de tanta aldrabice e depois daquela fotografia mentirosa que mostrou dois cepos doentes e nós sabendo que existem por volta de 48 saudáveis, peço aos senhores comentadores que não respondam a mentiras desenvergonhadas de Borges da Silva e dos seus capangas.

  13. Ai João Rego… Ai João Rego, não me obrigues a dizer tudo, vamos ficar por aqui.
    Tu bem sabes, que eu que sei, o que tu bem sabes!

  14. Senhor Rego!
    Posso com todo o respeito que me merece, pedir-lhe um favor?
    Solicite ao senhor Presidente de Câmara, que eu sei que é seu amigo, que lhe faculte o parecer técnico dos serviços da autarquia, e publique-o aqui nesta página, parecer como ele pediu quando foi da poda das tílias da Av. João XXIII.
    Com essa sua ajuda será um imenso favor que presta ao seu amigo, aos leitores desta página e aos escorraçados funcionários que agora servem para tudo, voltamos ao passado que se usava o nome dos funcionários para se defenderem, os políticos.

  15. SOBRE OS ARGUMENTOS CIENTÍFICOS ERRADOS DA NOTA DE IMPRENSA DA AUTARQUIA :
    1). "Queda iminente, agravada pelas condições meteorológicas" – ERRADO.
    Em qualquer bom livro ou manual especializado sobre o assunto pode-se ler “Devido à sua resistência ao vento, esta espécie é hoje em dia a árvore mais utilizada para fazer sebes serradas e sebes corta-vento para proteger essencialmente as culturas”. Mais se diz sobre estas árvores: “Resistem bem ao vento e à secura e mínimas de -10/15°C”, sendo “muito resistentes ao frio e toleram uma enorme variedade de solos, de arenoso a argiloso, de alcalino a ácido, fundo, bem drenado, ao sol ou sombra parcial”.
    As investigadoras Paula Ramos e Filomena Caetano, do Instituto Superior de Agronomia, num estudo científico disponível ao público, referem que estas espécies “encontram a principal utilização na constituição de cortinas de abrigo contra ventos marítimos, sendo também utilizadas como espécies ornamentais e agrícolas”. Neste trabalho científico pode-se ainda ler que esta árvore “Adapta-se bem em solos derivados de rochas sedimentares, nomeadamente arenitos e calcários e derivados de rochas eruptivas, em particular granitos e dioritos”, bem como: “Nas estações de melhor qualidade, a sua abundante ramificação permite uma boa cobertura do solo, travando o desenvolvimento dos matos e outra vegetação espontânea. Tal como outros ciprestes é utilizada para fins ornamentais e em cortinas de protecção. Tem comportamento termófilo, muito xerófilo; pode vegetar em estações com 200 mm de precipitação média anual, adaptando-se perfeitamente a climas com 800-1000mm/ano. Em Portugal distribui-se pelos bioclimas mediterrânicos e semi-áridos ou sub-húmidos. Suporta solos pobres, esqueléticos, rochosos, calcários e tolera as argilas compactas. É utilizada com três fins: como ornamental (sobretudo a variedade pyramidalis, de porte fastigiado), sendo muito comum em cemitérios; cortinas de protecção contra o vento; como espécie florestal para produção de lenho ou com fins de protecção”.

    2). "Os cedros encontravam-se em estado doente e com apodrecimento visível" – ERRADO.
    É bem visível, particularmente por quem lá passou na altura, que a base dos troncos estava “limpinha”. Ainda nos bons manuais sobre os cedros/ciprestes diz-se que “Esta espécie tem folha persistente e tem uma grande longevidade” e “A madeira do cedro apresenta as seguintes característias: textura grossa e resistência ao ataque de organismos xilófago”, bem como “Espécie bastante eclética, mas com preferência por solos de pH neutro a levemente ácido ou básico, leves e fundos. Os climas húmidos são aqueles aos quais dá primazia. Tolera bem os solos calcários e a secura. É ainda resistente à poluição atmosférica urbana”. Para terminar, de forma conclusiva: “A forma fastigiada tem aplicação florestal, pois a sua madeira de boa qualidade, pesada e muito duradoira é praticamente indestrutível, mesmo em locais húmidos; utilizada em mobiliário e carpintaria nomeadamente”.

    BIBLIOGRAFIA
    CORREIA, A.V., OLIVEIRA, A.C. 1999. Principais espécies florestais com interesse para Portugal. DAVID, J.S., HENRIQUES, M.O., REGO, Z.C. 1998. Short term responses of stream flow following clearcutting in Eucalyptus globules stands in central Portugal.
    DUCREY, M. 1995. Courbes pression-volume : problémes d’interpretátion chex quelques espèces forestières méditerranéennes. In L’eau dans la vie del’arbre.
    FRANCO, J.A. 1944. A Cupressus lusitanica Miller. Notas àcerca da sua história e sistemática. Agros 28:1-87.
    FRANCO, J.A. 1950. De l'expansion culturale du cyprès de Buçaco en Portugal.
    ORAZIO, C. 1994. Ecophysiologie du genre Cupressus : composantes du potentiel hyfrique total de 17 espèces, échanges gazeux hyfriques et photosynthétiques de C. sempervirens.
    REGO, Z.C., DAVID, J.S, HENRIQUES, M.O. 1986. Os efeitos hidrológicos dos eucaliptos
    UVA, J. S. (coord.) 2001. Inventário Florestal Nacional. Portugal Continental, 3ª revisão, 1995-1998.
    CIDADÃO COM OPINIÃO PRÓPRIA.

    • Pode dizer o que entender

      Agora garanto-lhe: Cedro junto a casa minha, ou viatura minha debaixo de cedro em dias de temporal, nunca.

      Vª Exª faça como bem entender

      A decisão da Câmara em cortar os cedros foi muito boa visando a segurança de pessoas e bens. É a minha opinião.

      Opinião formada no contacto com especialistas em árvores, especialistas que andam no terreno há dezenas de anos

      Tambem posso ser um cidadão com opinião própria?

      Já agora aproveite para em épocas de temporal fazer alguns Kms por estradas do nosso País

    • Conseguiu ler o que o anónimo em cima escreveu? Percebe português? Não é opinião, é ciência, investigação. Não é opinião, nem "entendimento". E aproveite e leia a notícia que aqui colocaram da TSF. Cumprimentos.

  16. O comentário que antecede é para quem sabe ler com clareza sem intenções sejam elas de defesa ou de ataque e aqueles senhores e senhora da camara não sabem é como as contas, a sede de ódio e vinganças cega-os.

  17. Boa !
    Publiquem aqui o parecer técnico, ou então assumam o erro.
    Caso contrario não passam de uma cambada de aldrabões e o povo do concelho não merece isso.

  18. Amigo Borges da Silva!
    Eu avisei-te desta, mas a tua teimosia há-de ser a tua desgraça, ouve os amigos.
    Pelo menos publica o parecer dos serviços e cala estes gajos.
    O João veio dizer que não falou contigo, depois vem dizer que há um parecer técnico, não pode ser "gato escondido com rabo de fora".
    Por favor calem-se, deixem estes gajos a falarem sozinhos.
    A nossa sorte é que ainda tens alguns amigos no PSD e eles estão habituados a trabalhar só um mês antes das eleições.
    Até me admira como o Bin Laden de vila ruiva não agarrou esse tema do corte de arvores, ele anda muito sossegado.

    • Como as árvores estão a ser usadas como arma meramente política de forma até exagerada, como cidadão livre independente e com os impostos em dia, tambem quero expressar a minha opinião:
      1) Concordo com o abate das árvores
      2) Concordo com os argumentos apresentados pelo comentador de 17-fev- 11h13
      3) Acrescento à argumentação desse comentador um dado muito relevante (o mais importante até) que em definitivo sustenta o corte das árvores.
      VEJAMOS:
      a) os cedros estavam plantados não num terreno horizontal mas sim junto a uma encosta de terreno.
      b) uma árvore que esteja num terreno horizontal terá em principio uma raiz espalhada em todas as direções em volta do seu caule, e por isso capaz de resistir a ventos seja qual fôr a sua direção
      c) os cedros da Câmara não tinham raiz virada para o lado de onde sopram os ventos dominantes, porque devido à encosta os cedros só tinham raiz vertical e raiz para o lado do largo da Câmara
      d)ora a ausência de raiz virada para o lado da adega, é que tornava os cedros perigosos.
      e)a raiz que os cedros tinham só era boa para a arvore resistir a ventos que soprassem da câmara para a adega

      Perante isto qualquer mente isenta sem condicionalismos politicos só pode concordar com a decisão da Câmara que quanto a nós só pecou por tardia

      o resto é mera politiqueirisse

    • Quando alguem passeia um cão pela trela na rua, o cão puxa para a frente e o dono puxa para trás para equilibrar.

      quando o vento sopra forte num sentido uma árvore só se segura se tiver boas raízes no sentido contrário ao do vento

      no largo da Câmara o vento sopra das cubas de vinho pró largo

      para resistir a temporais seria preciso que os cedros tivessem muito boas raízes para o lado das cubas de vinho

      ora para os lados das cubas de vinho os cedros não têm e nunca terão raizes SIMPLESMENTE PORQUE NÂO HÁ LÁ TERRA POR SER UMA ENCOSTA

      será preciso fazer um desenho?????????????????????????????????????????????????

      decisão certa da Câmara

      que alguns contestam por politiquisse pura e alguma falta de conhecimentos

    • Caro "Anonymus 18 de Fevereiro de 2014 às 13:54" compreendemos que concorde com o "Anonymus 17 de Fevereiro de 2014 às 11:13". É sempre bom quando somos coerentes connosco próprios… Tipo Advogado em causa própria. Está a ver? E o comentário seguinte, idem idem, aspas aspas. Encosta? Ventos dominantes? Leu o artigo científico? Não leu ou não percebeu bem. E ainda se arroga em arauto da verdade e fazer tábua rasa das evidências apresentadas por quem pensa de outra maneira. À boa maneira deste regime, quem não estiver comigo está contra mim. Ou seja, quem ousar pensar de forma diferente da propaganda instituída só pode ser ou um perigoso correligionário da oposição a fazer mera politiquice por um ignorante primário. Brutal. Você é um democrata genial, com estirpe de humildade notável. "O" conhecimento mora no largo do poder. Deve ser dos ventos dominantes, e "arejantes".. É este o caminho que querem trilhar?
      Pode até concordar, agora quem não concorda no seu raciocínio está a fazer politiquice?
      "Fazer um desenho?" Só se for a cores, com encostas acentuadas e ventos dominantes que só sopram de um lado, e nunca no do sentido da serra… deve ser do vórtice… e dos cata-ventos.

  19. "Cedro mais velho de Portugal resistiu na Mata do Buçaco" – TSF – 21 JANEIRO 2013
    “Na zona centro, as rajadas de vento fizeram estragos profundos na Mata do Buçaco, onde vive o cedro mais antigo de Portugal, que conseguiu resistir à fúria do vento ao contrário de outras centenas de árvore. O cedro mais velho do país ainda lá está, vergou, mas não caiu com o temporal".

  20. Que TÓTÓ , os cedros já têm mais de 100 anos, a quantos ventos fortes a quantas intempéries já não resistiram estas árvores centenárias?
    Só não resistiram às intempéries de Borges da Silva e seus Capangas." Errar é humano e perdoar é divino", reconheçam de uma vez por todas, que erraram, deixem-se de justificações falaciosas.
    Olhem um pouco atrás e vejam a triste figura que Borges da Silva fez quando o anterior executivo mandou podar as tílias da av. João XXIII. A postura de Borges da Silva no poder é uma na oposição totalmente díspar .
    E para alcançar o poder ainda é outra.

  21. Camarada MINHOTO prepara-te para o que aí vem.
    De fonte fidedigna, o alex mangueira não gostou do teu comunicado, AZU, sobre o corte dos cedros, quando estiver contigo vai-te puxar as orelhas, olha que um homem prevenido vale por dois e quem te avisa teu amigo é.
    Diz adeus ao projeto FINICIA para atua filha.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies