Sessão de informação para apoios à agricultura trouxe como novidade um “controlo mais rigoroso”

– Carregal do Sal e Nelas são claramente “prejudicados” na sua caraterização como concelhos desfavorecidos

A Associação de Desenvolvimento de Iniciativas Culturais Económicas e Sociais (ADICES) e a Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (CONFAGRI) realizaram, na Sala 2 do Centro Cultural de Carregal do Sal, a primeira sessão de informação/esclarecimento aos agricultores dos concelhos de abrangência da ADICES sobre os apoios à atividade agrícola e os incentivos à produção da campanha 2014/2015.
Após a saudação de boas-vindas do Vice-presidente da Câmara, José Sousa Batista, Fernando Gonçalves deu início à sessão apelando à condição essencial de os agricultores terem a obrigatoriedade da sua atividade estar registada para poderem aceder aos apoios.
Ao abordar as ajudas diretas do 1.º pilar de desenvolvimento para 2014-2020, admitiu haver ali algum espaço na atribuição das ajudas, mas alertou para o facto de ter algumas reservas em relação ao que o novo sistema de apoios irá trazer. E sublinhou que Carregal do Sal, Nelas, Tondela e Santa Comba Dão são alguns dos concelhos prejudicados na caracterização das zonas para atribuição do nível de apoio sensibilizando as Câmaras para não ficarem indiferentes quando lhes dizem que são zonas desfavorecidas.
Dirigindo-se aos agricultores alertou para a aplicação dos eventuais apoios pois tempos houve em que a sua utilização foi abusiva, o que não será permitido a partir de agora, cabendo esse controlo à ADICES e a quem assina o projeto. Depois, descreveu as formas e valores de atribuição dos prémios focando ainda os problemas com a alteração de regimes de pagamento dos mesmos.
As medidas agro ambientais, as condicionantes, os requisitos legais de gestão, a fiscalidade e segurança social e os pagamentos diretos no futuro foram também abordados pelo técnico.
Regina Lopes, coordenadora da ADICES, usou então a palavra para mostrar a sua surpresa em relação aos apoios discriminatórios na área de intervenção da Associação e prometeu estar atenta à situação pois é intenção da ADICES combater a desertificação agrícola, apoiar na constituição de agrupamentos de agricultores e na criação da figura de aconselhamento.
Coube ao Vice-presidente da Edilidade, José Sousa Batista, encerrar a sessão, ocasião em que endereçou o agradecimento pelos esclarecimentos prestados aos agricultores do seu concelho e demonstrou disponibilidade da Autarquia para outras iniciativas similares.