Autarquia de Nelas justifica corte dos cedros com “queda iminente”

NOTA de IMPRENSA – esclarecimento CORTE dos CEDROS na Praça do Município :
“Em resposta à solicitação de muitos munícipes sobre a retirada dos cedros que se encontravam na Praça do Município, a Câmara Municipal esclarece que tal ação se deveu ao perigo de queda iminente dos mesmos, agravada pelas condições meteorológicas dos últimos dias, que punham em causa a segurança das pessoas e bens que aí circulavam, tal como já ocorreu há alguns meses.
Os cedros retirados que se encontravam em estado doente e com apodrecimento visível”.

17 comentários a "Autarquia de Nelas justifica corte dos cedros com “queda iminente”"

  1. MEDIDA BEM TOMADA

  2. Todos? Olhem que as fotos desmentem as alegações. Uma tristeza, é o que é, parece que não sabem o que hão-de fazer.

  3. Se a isso se seguir um aproveitamento do terreno ao lado para estacionamento (um daqueles bonito, com flores pelo meio e árvores para dar sombra) acho que a Praça do Município ficará mais bonita e o Pavilhão Multiusos mais bem inserido no quadro global.

  4. Sobre esta questão dos cedros, julgo que com o decorrer do tempo, infelizmente, se verá a verdadeira razão deste corte brutal e radical. A ver vamos. Por outro lado, esperemos que não tenha prevalecido a ideia peregrina de mudar por mudar ou fazer diferente para mostar serviço, tão característico da mudança de regimes.
    Quanto às razões invocadas, mantenho as minhas sérias dúvidas. Quem percebe um pouco do assunto sabe que podiam as razões invocadas aplicar-se a uma ou outra árvore, agora a TODAS? Estavam TODAS podres? Não me parece. Já fui ao local e vi que que muitas, mas mesmo muitas, estavam "limpas", como curiosamente, assim o ilustra bem a 1ª imagem no que resta da árvore cortada que aparece em 2º plano. As fotos escolhidas e divulgadas querem justificar o ato, mas mostram também que alguma coisa não está bem explicada (alguém se esqueceu na 1ª fotografia que há lá uma árvore bem visível que está completamente sã).
    Mais, mesmo para as ditas árvores em "estado doente e apodrecimento visível" existem métodos para as "curar". As justificações são plausíveis e "colam bem": o "perigo de queda iminente, agravado pelas condições metereológicas" e a "segurança das pessoas e bens" são deveras importantíssimas e prioritárias. No entanto, apesar dos bons argumentos invocados, parece que o desbaste foi feito sem critério e acompanhamento técnico adequado. Literalmente, no caso, parece que confundiram a árvore (as poucas nas condições invocadas) com a floresta (a maior parte das árvores em estado são). Se calhar alguém se lembrou, num belo dia, leviamente, "e se mudássemos o visual dos paços do concelho?", como quem decide, de repente, fazer um pente 4, só para mudar o visual. Em resumo, para quem viu, e também para quem queira ir ver, nem todas as árvores estavam "podres" (como volto a dizer se pode ver claramente na 1ª foto na árvore em 2º plano, ou para quem queira no próprio local). Os cedros são, por natureza, árvores muito robustas. "Cortar a direito", como foi feito, retira o elemento que dava ao espaço nobre do munícipio, os paços do concelho, o seu ar majestoso, emblemático, ex-libris da coabitação entre o cimento e a natureza. Agora é um espaço "nu", sem alma, cinzento. É deveras lamentável que uma decisão precipitada, que em vez de erradicar somente o que estava doente, tenha um impacto tão negativo no nosso património imemorial coletivo (sabem há quantos anos aquelas árvores ali estão?). Faz lembrar uma história similar, também ela mal contada, ocorrida na Mata das Alminhas há uns anos (e vejam como lá continua um espaço árido, outrora verdejante), curiosamente com pretextos similares. Triste terra. Mudam os protagonistas (menos maus estes, é verdade), continuam as asneiras grosseiras…

    • JUNTA-SE AQUI UM COMENTÁRIO JÁ FEITO

      "Os cedros estão a ser usados como mera ARMA POLITICA. Infelizmente dizem-se coisas sem conhecimento. O corte dos cedros só pecou por tardia. Mais, quem as plantou no passado ignorava o perigo que estava plantando. Sabe-se hoje que os cedros são das árvores mais fáceis de cair, porque têm raiz superficial e com pequena área de implantação no terreno. Junta-se a isso a folha permanente e uma copa que ensopa e acumula água no inverno, vulnerabilizando demasiado a árvore por elevar o centro de gravidade perigosamente. Ainda se junta a isso os ventos dominantes no largo da Câmara que empurram as árvores no sentido do largo do Município.
      Foi bem melhor cortar os cedros do que um dia destes haver quedas em cima de viaturas e pessoas. Quem agora critica criticaria ainda mais se um acidente ocorresse. Se a Câmara pretender plantar novas árvores que plante porque umas boas sombras fazem sempre bem. Tem é que saber as árvores adequadas. É só perguntar nos serviços florestais em Viseu.

      PESSOALMENTE SABENDO DE ÁRVORES APOIO A DECISÃO
      UM EXEMPLO. O ANO PASSADO CAIU UM CEDRO CÁ EM NELAS NUM JARDIM PARTICULAR.
      FOI SORTE TER CAIDO NUMA BOA DIREÇÃO. FOSSE AO CONTRARIO TERIA DESTRUIDO UMA CASA E PROVAVELMENTE VIDAS HUMANAS. FOI NA CASA DO SAUDOSO MESTRE BATISTA

      Infelizmente até uma boa medida é usada para atacar a Câmara
      É o País que temos. Critica-se tudo só porque se é do contra

      FOI UMA BOA MEDIDA

      Responder

    • Apoiado Sr. Anónimo das 13:00.
      A Mata das Alminhas renasceu do corte dos eucaliptos durante a Guerra de 1939/45, para uso da sua madeira nas locomotivas dos comboios, tendo ficado descaracterizada com o último corte dos pinheiros.
      Que saudades dos tempos em que era aluno do Colégio Grão Vasco e para lá ia estudar, então com os eucaliptos a rebentar de novo!
      E que dizer do ring de patinagem onde o Sr. Tony, (guarda redes) e penso que também o Sr Raul Carlos, fizeram grandes exibições com as cores do Sporting de Nelas que tinha uma equipa de "hokey"?
      O Sporting tinha a sede atrás da igreja que foi demolida e pegava com a oficina do Sr. Aurélio Meia Lua. Hoje existe um banco onde era a oficina.

  5. Excelente senhor anónimo de 13:47
    Borges da Silva Está louco com o poder e temerato pelas denuncias!

  6. Mentirosos árvores perfeitamente saudáveis, Tenham VERGONHA é mais fácil apanhar um mentiroso do que um coxo!

  7. Queda Iminente e vertiginosa está este regime de ódio e perseguição implantado dentro da câmara.

  8. Se estão tão preocupados com a segurança componham a vergonhosa lomba de Santar, estão à espera de haver lá um acidente grave? Não se vê uma lomba assim em mais nenhum concelho. Vergonha

  9. ESTÃO TODOS ENGANADOS, o corte das arvores insere-se na requalificação e reconstrução do edificio e area da CRV de Viseu.

    • E quem vai fazer as obras ???? Afinal, a Câmara tem ou não tem dinheiro!!!!

    • Cada dia uma mentira diferente para justificar a asneira. Asneira é asneira, ponto. E esta foi uma das grandes, ponto.

    • atrasados, aprovam documentos -Plano de Obras- e não sabem o que aprovaram, é gente desta a que o povo deu o voto;
      vejam lá se há algumas garrafas naqueles balões (cubas), alguém que leve um presunto, e desempaqrem a loja.

  10. Boa companheiro do comentário de 13/2/2014 – 15:59.
    Ninguém entende as mentiras de Borges da silva, a câmara ficou falida, mas segundo ouvi dizer quer fazer obras nas Cubas, em que a propriedade continua a ser da CVRDÂO, está bem, fazer filhos em mulher alheia.
    Também ouvi dizer que vai la gastar perto de 50.000 contos, não valerá mais a pena comprar o edifício?
    Ou isto terá outras coisas escondidas?

  11. Perguntar aos serviços florestais de viseu, quando temos em nelas um biólogo em Uranio e produtor florestal, o senhor MINHOTO

  12. O Monhoto caiu-te na fraqueza
    Ajudou a tirar-vos de lá? Está a ser dificil digerir a saída

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies