Morte da bombeira Cátia de Carregal do Sal poderia ter sido evitada

O Conselho Português de Proteção Civil revelou que a
morte dos dois jovens bombeiros de Carregal do Sal (Cátia e Bernardo), no
fatídico incêndio da Serra do Caramulo, poderia ter sido evitada se existisse
um sistema de radio-comunicações de grupo que ligasse bombeiros, sapadores
florestais e GIPS. 
”O Conselho Português de Proteção Civil mantém contacto
regular com diversos agentes de proteção civil e entidades cooperantes e sabe,
de fonte segura, que não pode identificar, que a bombeira de Carregal do Sal,
que perdeu a vida no verão passado, poderia estar viva se houvesse
radiocomunicação de grupo que ligasse bombeiros, sapadores florestais e
GIPS”, referiu em comunicado à comunicação social, a assessoria de
imprensa do C.P.P.C.
“Houve quem gritasse para tentar avisar o grupo
para o perigo imediato, contudo os gritos não foram ouvidos pelos combatentes
que acabaram por ser atingidos pelo fogo”, pode ler-se no referido
documento.